domingo, 14 de setembro de 2014

FAÇANHAS DE CHOCOLATE

               Olhando para trás vejo luzes amarelas se aproximando tão rápido. Quando passam por mim vejo luzes vermelhas se afastando velozmente. Espero dois pontos ainda, andando devagar, olhando em torno e fazendo um novo caminho. A estrada é plana e muito lisa, demais até para um prático; reta, com poucas curvas, como se só para tolos inúteis e sem iniciativa.
                Nessa estrada sou um estranho. Adiante, entroncamentos, encruzilhadas, nenhum sinal aparente. Só quem sabe para onde está indo é que pode escolher - ou advinhar - por qual via continuar. E o tráfego será ora calmo, ora intenso. Esse lento caminhar refletirá ora a experiência, ora as dúvidas. É o caminho difícil, sem pousos ou reabastecimentos que levará os corajosos e ousados para a suprema recompensa de descobrir se passaram pela vida certos ou errados. Tantas convicções postas à prova no final desse trajeto soberbamente percorrido.
                Que Deus acompanhe cada um nessa incrível jornada.


[Adhemar - São Paulo, 23/05/2006]

Nenhum comentário: