Pesquisar este blog

sábado, 13 de setembro de 2014

FLOR AZUL

A flor azul apareceu.
"Aqui não é o planetinha do príncipe."
Ela intriga e entristece.
Não é também o planeta da princesa.

No céu, no ar, no azul.
Na paz.
No conjunto de toda a calma
de uma manhã de sol.
Na palavra branca de um branco adeus.

Olhar para trás e não enxergar mais nada.
Tudo por um caminho tão longe,
tão longo e tão novo.
Acostumar com a vida
na ponta da nova chance.
Sem rima, sem saudade,
parado;
reflexões de um momento estanque.
Atenção, alerta possível e interessante.
Ou tudo melhor que antes.


[Adhemar - Goiânia, 20/07/1987]


Flor do adeus

Primeiro poema escrito depois do rompimento de um namoro de mais de seis anos, algumas passagens já relatadas neste "blog".

Adhemar, 25/11/2008.

Nenhum comentário: