Pesquisar este blog

domingo, 14 de setembro de 2014

DELÍRIO NOTURNO

          Há certos momentos em que a gente perde a noção de tudo. Por cima das estrelas da noite há um grande espelho flutuando no espaço, cada estrela é o reflexo de cada um de nossos poros brilhando mais itensamente quanto mais brilharmos por dentro. Um grande espelho oculto de nossos próprios sentimentos. Amedrontador é saber que a imagem dos nossos secretos pensamentos está caminhando pelo ar e fica escrita no céu através de luzes intensas ou tímidas, recortadas no negrume da noite e que qualquer um pode lê-la, porém - ah, que bom! - tanta gente passa por tudo isso e nem percebe, não olha pra cima nem de dia, nem de noite e, quando olha - bem - quando olha vê apenas vagos pontos azuis brilhando límpidos, revelando tudo, inclusive a si próprias, mas pensam que são apenas estrelas; mas é como se toda essa gente fosse analfabeta da leitura das estrelas desprezando, desse modo, a sua própria ligação com o céu. E a gente fica tranquilo porque ninguém sabe ver direito e nem desconfia do que tá acontecendo. Mas o que é isso?! De repente alguém sem mais nem pouco vem chegando e dá o serviço direitinho: vendo tudo o que a gente é, fica dona dos nossos segredos; mesmo de longe fica lendo o que a gente está sentindo. Então dá uma aflição gostosa de repartir o que é só nosso, há mais sorrisos e cada sorriso gera uma nova estrela… Mas não dá tempo de curtir direito, o sonho está acabando, o dia amanhecendo…

P/BSF
[Adhemar - São Paulo, 26/04/1988]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Daisy — segunda-feira, 26 de janeiro de 2009 (10:20:07)
Oi! Não sou antropóloga, mas acabo vendo as coisas pelo lado humanista.Sou bacharel em Filosofia e Pós-Graduada em História, com especialização em Arqueologia. Logo, a miséria da condição humana é meu campo, mesmo que nos últimos 15 anos minha área de atuação esteja completamente voltada para a Numerologia e a Astrologia.
Pronto, depois deste capítulo de “Esta é sua vida”, voltemos ao que interessa.
Que bom sonhar… é quando tempo passa, entorpecendo a consciência e amanhecendo a possibilidade de tudo!
Gosto de sonhar que sonho, pois posso até não mais poder.
Grande beijo.
Daisy