domingo, 14 de setembro de 2014

INTÉRPRETES

               Somos tradutores do excesso. Somos uns incontidos. Tudo o que não conseguimos reter, despejamos. Despegamos as palavras que nos saem da boca, do cérebro, de qualquer jeito, atrabiliárias. Aí, as desorganizamos nos papéis, transbordando da nossa cabeça, dos nossos lábios, numa torrente contínua, excessiva. Faltou-nos a coragem para segurá-las, sepultá-las, essas palavras rebeldes que fogem de nós insurretas, repentinamente acumuladas e chocando-se entre si até sairem de nós.

               Somos carcereiros do nada, posto que em fuga elas nos colocam em cheque. Exibidas ou dissimuladas, mentirosas ou autênticas são altamente reveladoras de nós, mesmo nessa fuga. Nos apresentam ao mundo quando ganham essa insuportável e irremediável liberdade que nos condenará a lê-las apenas com a sensação muito esquisita de que nunca mais serão as mesmas...


[Adhemar - São Paulo, 10/06/2008]

2 comentários:

Adh2bs disse...

Comentário por caurosa — quinta-feira, 4 de dezembro de 2008 (21:37:37)
Olá caro amigo Adhemar, estamos sempre tentando escrever, reescrever, inventar, reinventar o mundo que nos rodeia e o nosso mundo interior. Que bom! Assim leremos o mundo de várias formas. Muita luz e inspiração para você.
PS: Estarei te linkando para melhor acompanhar seus escritos.
Forte abraço
caurosa.wordpress.com

Comentário por Manhosa — quinta-feira, 4 de dezembro de 2008 (22:51:42)
Adhemar
Meu Querido Amigo Especial…
Este ‘Especial’… por que te faz diferente… esta forma como mostra teus sentimentos…
É justamente a maneira de jogares as palavras… parece que brincas com elas… e elas
desnudam teu coração… me faz sentir a grandeza do existir.. do valer a pena…
A maneira impar que acarinhas todo este teu vasto circulo de pessoas Amigas…
Não podes mais mudar… seria te esconder… e… eu particularmente… me sentiria roubada… pelo prazer e a felicidade de sempre colho ao vir aqui… aprender… me energizar…
TeAmo
Bjs.

Comentário por TATIANA REZENDE — sexta-feira, 5 de dezembro de 2008 (15:06:12)
O problema é quando queremos reter e despejamos…
Abração!

Adh2BS disse...

Em XEQUE?