Pesquisar este blog

domingo, 14 de setembro de 2014

...LAGO!


Fico quieto quando não tem vento.
Só de chuva eu me alimento.
Não há corrente onde eu deságuo.
Sou apenas um tranqüilo...

Aqui dentro moram uns peixes.
Nadar - embora eu deixe -
é pra quem me faz um afago.
Sou apenas um pacífico...

Minhas águas molham as margens,
deixam mais verdes muitas folhagens
com os alimentos que trago.
Sou apenas um profícuo...

Os animais podem matar sua sede;
o pescador estender sua rede
que eu, por mim, nada indago.
Sou apenas um simples...

Mesmo assim os moleques safados,
turistas xeretas e casais de namorados
jogam migalhas, gravetos e lixo, sem embargo;
sou simplesmente alvo de pedras no...


[Adhemar - Santo André, 25/09/2008]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comment by Ylago — Sunday, 7 de December de 2008 (12:51:32)
Tinha que ter o homem no meio da história pra estragar o lago... Estava tão interessante com chuva, folhagem, peixe, pescador... já o último poema... Lago? Meu ID só tem um Y na frente... Ylago. Abraço.

Comment by Manhosa — Sunday, 7 de December de 2008 (15:43:19)
Adhemar Só tua doçura e ternura são iguais a um lago... ...risos... Todo o resto do teu Eu... é um oceano... com tudo o que eu acho de maravilhoso... ... da maneira carinhosa que ele vem lamber as areias da praia... ... da força que ele se joga contra as rochas... ... do modo que ele se encrespa... formando ondas lindíssimas... desafios daqueles que o amam e nele deslizam... ... as nuances das cores... que nos contam como esta seu interior... TeAmo Bjs.

Comment by Tatiana Rezende — Tuesday, 9 de December de 2008 (17:41:44)
Gostei do "não há corrente onde eu deságuo"...