terça-feira, 2 de setembro de 2014

MEU AVÔ

Vida.
Essa misteriosa concessão por tempo definido, mandato finito que cumprimos ou nos é cassado.
Vida.
Obra original de cada artista, inédita ou exposta, sucesso ou fracasso.
Vida.
E aqui estamos nós diante do fato consumado. Do fim de uma obra, uma escultura elaborada por um delicado cinzel, goivas e espátulas, todos os detalhes finamente rematados.
Aqui estamos nós, a um tempo parte da obra e espectadores entusiasmados, inspirados e gerados pelo artista.
Aqui estamos nós, uns muito privilegiados pelo convívio, pelas suaves e generosas lições fisicamente recebidas e delicadamente ministradas.
Aqui estamos nós diante da grandeza do infinito, da grandeza do ser humano ímpar e que é a nossa meta: quem sabe um "meio por cento" cada um, para fazer um décimo - quiçá um quinto - de um humano mais que humano, mais que irmão e mais que amigo. Um filho, um marido, um pai, avô e bisavô; e sabem do que mais? Tataravô!
Nós, súditos ou vassalos dessa realeza tão gigante, tão dôce e tão dedicada? Pois reconheçamos, é um nosso meio-sol que se apaga; se transfere a outra praça, vai iluminar outra morada. Deixa aqui seu complemento, implemento e suplemento, seu motor e sua amada; um meio-sol para não perdermos nossas órbitas tão ovais, desconjuntadas. É sua melhor referência.
Vida.
Nem sempre amarga, nem sempre afaga. Nos deu o dôce, a doçura e a namorada do nosso herói, do nosso mundo.
Vida.
Essa curiosa montanha escalada que transforma nossos ídolos em mitos.
Muito obrigado e até mais, Luiz de Oliveira Braga (06/11/1910-02/01/2004).
[Adhemar - 03/01/2004]
Hoje, que seria o dia do aniversário de meu pai, fica o escrito dedicado a outro de meus ídolos, o pai de minha mãe. Devem estar jogando cartas no céu, com o Tio Sanna (que chegou lá primeiro), grande figura e amigo, a ser apresentado em outra ocasião.
Adhemar, 28/05/2008.

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comment by Antonio Carlos Sanna — Friday, 30 de May de 2008 (18:03:27)
Pois é. Mês que vem chegando e lá se vão 10 anos. 20/04/1922-17/06/1998.

Comment by Nelson Marino Calil — Tuesday, 10 de June de 2008 (17:40:47)
Parabéns, Dé. Você conseguiu fazer o que muitos gostariam de fazer, ou seja, colocar no papel seus sentimentos a respeito do Vô, papai, tio Sanna. Deles compartilho com intensidade, pois adorava e adoro ainda, ainda que em outro plano, todos eles. Nelson