Pesquisar este blog

domingo, 14 de setembro de 2014

NOTÍCIAS DIÁRIAS

Pesquisa, estatística.
Quanta gente sabe ler?
Muita gente, muito assunto se estica
coisas pra não se entender.
Informação, fatos.
Quantos modos de contar?
Para ilustrar, uns tantos retratos,
assuntos pra escolher.
Fofocas, mentiras, boatos.
Tantas preferências têm...
Rodando o mundo, ganhando detalhes,
ganhando adeptos e fãs também.
Quantas abreviaturas, relatos.
Quantas versões pra inventar?
Saltos mortais, capítulos,
outros fascículos pra comprar.
Um acompanhamento barato,
tipo um brinde qualquer.
Vale o escrito mesmo insano
num insensato vai-e-vém.
Publicidade, reclame,
divulgação midiática
da imediata pressa da missa
de um abençoado amém.
Vai endosso, vem preguiça
dando um susto em alguém.
Faixa, cartaz, passeata,
ameaça, poder carismático...
Coluna, indicador econômico,
caderno de cultura, esporte,
encaixado em primeiro plano
um caderno classificado.
Artigo, manifesto, editorial.
Tudo dito de uma vez.
Tudo a serviço da voz
da confusa desinformação em geral.

[Adhemar - São Paulo, 10/06/2008]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Hellinho Ferreira — sábado, 6 de dezembro de 2008 (02:29:16)
Saudações mestre!!!
Pois é, anuu que vem devo voltar. E queruu muito conhecer melhor esse Brasil (zão)… se Deus quiser…
Fik com Deus

Comentário por TATIANA REZENDE — domingo, 7 de dezembro de 2008 (10:57:04)
É verdade. Analfabeto não é o que não sabe ler, mas aquele que incapaz de interpretar.