quinta-feira, 4 de setembro de 2014

NOVO MUNDO

Na densa treva da noite,
no sopro do vento,
nos ecos da tempestade.
Em todos os elementos
há o momento de amor,
há um soprar de saudade.
Nas ondas revôltas do mar,
nos rios e na densa floresta,
no ar e na claridade.
Em tudo há um clima de festa,
há um carinhoso calor,
há um chorar de amizade.
Nas pequenas manifestações da natureza
ou nas grandes mostras de força e poder;
na intensa projeção da majestade.
Curiosa revelação da paixão e de ser
diferente por dentro e por fora;
coração flutuando vadio, na cidade…
Distante do seu ideal,
no meio do tráfego intenso
o coração ‘inda encontra a bondade:
o amor verdadeiro e imenso
pela certa e formosa mulher,
companheira leal, de verdade!
Para S.M.
[Adhemar - S. Paulo, 27/02/1989]
Namorada!
Para minha namorada predileta. Passei tanto tempo procurando aquela que fui encontrar há quase vinte anos já. E todo dia parece que faz pouco tempo. Grande beijo.
Adhemar, 12/06/2008.

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Jac Oliveira — sexta-feira, 13 de junho de 2008 (13:31:58)
Que bonito! parabéns por manter acesa a chama do amor…
re: claro que pode linkar meu blog. Seja bem-vindo.

Comentário por Alexandre Souza — segunda-feira, 16 de junho de 2008 (19:09:01)
“densa treva”; “densa floresta”…