domingo, 7 de setembro de 2014

ORTO

De tão afastados de nossas origens já esquecemos quem somos, de onde viemos e o nosso papel neste planeta, na natureza.
Uma vez sonhara que era um pianista de bar. Tocava indefinidamente, fosse dia ou noite, sempre e sem parar. Apenas não fumava, mas bebia, sempre tocando, não parando nem para conversar. E conversava tocando, repertório à esmo, sempre e sem parar.
Detestava acordar desse sonho onde fazia amigos, via conhecidos, tinha o espírito leve, descansado e alegre. Às vezes cantava em dupla, em trio, sempre me divertindo. Verdades universais se confirmando e se desmentindo… E deduzia a origem de ter nascido num piano-bar; natureza de companheirismo e intimidade com espíritos leves, espíritos livres.
De tão afastados de nossas origens já não distinguimos o básico: qual a diferença entre alma e espírito? Qual a semelhança entre a vida e a morte? Qual a divergência entre o amor e o mundo?
Uma vez que acordara, não dormira mais. E até hoje sonho em sonhar, sonhar…
[Adhemar - São Paulo, 25/01/2005]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comment by Alexandre Souza — Friday, 22 de August de 2008 (00:02:37)
Assistiu "Casablanca" antes de ir dormir?