Pesquisar este blog

terça-feira, 9 de setembro de 2014

REVELAÇÕES (3)

Rever, assumir, estampar.
Não esconder, não ocultar,
não omitir nem disfarçar.
Depois de tanto viver
baixar o véu, deixar-se ver,
liderar, enfrentar, resolver.
Depois de tanto aprender, observar.
Não é preciso mais calar
tudo o que se quer dizer, falar.
E o destino há de compreender
o curso fixo do sobreviver,
cabeça erguida a desafiar.
Talvez não seja tarde pra mudar
mas também não o é pra conservar.
Reconstruir ou reformar, empreender.
Talvez não seja tarde para surpreender
e nem tão pouco como está permanecer;
apenas ser o que se é, sem se velar.
Talvez seja apenas para amar
o que se é, o que se tem e ampliar
internamente o próprio ser, o próprio estar.

PAntonio Guarnieri, meu amigo.
[Adhemar - São Paulo, 20/12/2003]

Nem te conto!
Há dois poemas (?) chamados revelações (1 e 2) postados em 22 de abril [N.A.: NESTE BLOG, EM 15/03/2014]. Só pra avisar.
Adhemar, 18/09/2008.

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comment by Marc Souz — Thursday, 18 de September de 2008 (08:03:45)
Ótimo texto, aliás, ótimos textos, muito bons, adorei. Parabéns, por tão belo blog, que contém grandes textos. marcsouz.blog.terra.com.br

Comment by isa — Friday, 19 de September de 2008 (07:57:30)
O tempo de se revelar é hoje, é sempre... As nossas revelações nos surpreendem a cada dia... muito bom!!! Beijos Isa