segunda-feira, 8 de setembro de 2014

TEUS OLHOS / E MAIS...

TEUS OLHOS
Teus olhos,
teu olhar.
Castanho escuro,
profundamente castanhos.
Quando os fitei,
mergulhei no mar castanho dos teus olhos.
Apanhei-os na mais pura expressão.
Por momentos,
tudo some à minha volta;
porque fico absorvido em teus olhos.
Infinitamente castanhos.
Infinitamente teus.
[Adhemar - S. Paulo, setembro/1981]
E MAIS…
Teu sorriso é minha alegria.
Tua prece, minha religião.
Tua vida é meu dia-a-dia,
teu mundo, o meu chão.
Tuas mãos são meus guias,
teus olhos são meu farol.
Teus são os meus dias,
teu porto, meu atol.
Teus carinhos… Meu arrepio.
Tua presença dá ensejo
de ver o teu corpo esguio,
meu desejo…
Teus cabelos, minhas vagas.
Teu amor, o meu barco.
Pelos teus lábios me tragas,
no nosso amor eu embarco.
[Adhemar - S. Paulo, 1981]
Para M.G.
Escritos para a musa daquele momento, o segundo deles estava junto ao primeiro, sem título e sem data. Na ocasião, este que vos escreve tinha apenas dezoito anos, o coração repleto - como sempre - e a cabeça ôca - como sempre, também!
Adhemar, 13/08/2008.

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Alexandre Souza — domingo, 17 de agosto de 2008 (20:37:26)
A beleza da juventude é a sensação de tudo poder,
A beleza da maturidade é a certeza de tudo saber,
A beleza da idade avançada é o muito ainda por aprender!
Rapaz vc me inspirou!