quinta-feira, 11 de setembro de 2014

VISÕES

Treinei para ver além.
Além do aparente, do próximo, do real.
Procuro, através das distâncias,
as profundidades.
Nos mapas,
o entorno dos caminhos,
apesar da saída e da chegada.
Mais do que o trajeto,
mais do que o transporte;
meios e fins em si,
intenções.
Estendi o olhar para mais que o firmamento,
para o entre astros,
universo.
Só não olhei para além do sol,
do riso sincero
e do rio cristalino.
Tentei decifrar os enigmas,
o estar vivo,
o ser, o aqui.
Adestrei os outros sentidos:
ouvir nas entrelinhas,
degustar os perfumes,
respirar as paisagens.
Tudo com muito tato.
Cheguei a ver, ouvir e cheirar
com as mãos.
E quando pensei ser possível
encontrar o meu habitat
descobri, neste mundo,
qualquer lugar.
Qualquer lugar é aqui.
Qualquer lugar é o meu lar.
[Adhemar - São Paulo, 30/09/2003]

Um comentário:

Adh2bs disse...

Comentário por Tatiana Rezende — sexta-feira, 31 de outubro de 2008 (15:38:16)
Eu queria ter a visão além do alcance!