Pesquisar este blog

sábado, 22 de novembro de 2014

PAIXÃO ATREVIDA

Um toque.
Quem é?
Não é nada,
só uma sensação que passou.

Um toque.
Quem é?
Não é nada,
foi a mesma sensação que voltou.

Passou mais uma vez e voltou.
Assim foi o dia inteiro.
Porém, se fez a tocaia.
Antes do próximo toque,
agarrada,
a sensação protestou.

Foi arrastada pra dentro,
trancada e interrogada.
Foi então que ela confessou:
estando desocupada,
pegou o primeiro coração que avistou.
Tocava e corria pra cima;
escondida observava.
Depois corria pra baixo
e, passando, tornava a tocar.
Até que foi surpreendida, 
apanhada,
teve que confessar.

O coração ficou comovido
e, distraído,
deixou-a ficar...

P/ B.
[Adhemar - São Paulo, 14/09/2014]

Nenhum comentário: