sábado, 14 de fevereiro de 2015

ORDEM

          É tudo uma questão de mais ou menos organização, de superar o caos; de vencer a resistência à paz que a simetria carrega em si, se impondo por repouso aos olhos, pela segurança de estar cada coisa em seu devido lugar.

          A disciplina do método, da descrição precisa de onde está o quê; o critério de agrupamento lógico, organogramático, é tudo uma questão de maior ou menor arrumação. A mente analítica e seu pensamento matemático morando num quartel, ou numa biblioteca. A ordenação impecável e a definitiva impressão geral de limpeza que se evidencia a partir daí.

          No entanto... Há certa ordem no caos, na aparente desorganização, no aleatório, no "deixa estar pra ver como é fica". É da natureza uma determinada variedade de estilos e não se pode dizer que isso seja bagunça. Também há uma enorme paz na contemplação de um cenário variado, de uma estrutura por reconstruir. A própria terra de vez em quando treme, ou se inunda impondo uma nova atitude diante do tudo por refazer. Certamente que esse tipo de caos é cruel e desafiador; mas, de certa forma, é extremamente essencial para nos lembrar do quanto somos frágeis diante das infinitas possibilidades do universo...


[Adhemar - São Paulo, 02/02/2010]

Desordem

Texto escrito exatos 25 dias antes do terremoto que atingiu o Chile em 2010. Ainda há sinais de sua destruição nas cidades abaladas por ele, mas a recuperação e a coragem das pessoas estão visíveis em toda parte também.

Adhemar, 14/02/2015.


Quinta Vergara, Valparaíso (foto: Adh2bs/jan-2015)

Nenhum comentário: