terça-feira, 29 de setembro de 2015

LAPIDAR

Eu sou mais um;
como tantos outros
em busca de um verso perfeito,
de um corpo etéreo,
de romper um malfeito.

Eu sou mais um;
como tantos outros
não sei onde dói,
desvendo um mistério,
procuro um herói.

Eu sou mais um;
entre tantos poetas
em busca de um verbo imperfeito,
em busca do ser e do estar
e remédios dos males do peito.

Eu sou mais um;
entre tantos,
a buscar por direito
um simples lugar
no último leito...


[Adhemar - São Paulo, 28/06/2010]

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

FRANQUIA

Franqueza quebrada,
certeza apoiada no muro.
A pedra no meio do nada,
a mentira dando duro.

Suportes perdidos,

apoios bem disfarçados.
Mobília confusa na sala,
verdade de olhos ardidos.

Pinturas desfalecidas,

água por todos os altos;
barcas balançando vidas,
virtudes nas pontas dos saltos.

Representações concedidas,

o mar represando ondas.
Marolas de nuvens malandras,
de lágrimas embebidas...


[Adhemar - Santo André, 26/09/2013]

terça-feira, 15 de setembro de 2015

DESVARIO

Iminência de tempestade,
fica revolto o mar.
A escuridão cai de repente
e os trovões a ecoar.

Neste cenário surge

o Pirata com sua espada.
O Pirata que outrora fôra
vermelho e elegante,
ora está de preto
no seu luto terrível e errante.

De volta ao mar

está em seu meio.
Agora não pensa em conquistas
heróicas ou bravas;
prefere os saques e ataques
sem salvação nem desonra.
Apenas com sua audácia,
cinismo e espada;
cinismo forjado na têmpera
da técnica mais refinada.

Sua capa é a imensa tristeza

de viver nessa insana loucura:
de ter perdido a princesa
a quem até hoje procura!


P/ BSF
[Adhemar - Aracaju, 29/01/1988]


sábado, 5 de setembro de 2015

INTERCONEXÕES

De onde vem o que vêem?
De onde a veemência demente?
Por que o discurso e o amém?
Por que a doença doente?

Quadros quadrados
Açúcares adoçados

Apólices de seguro
Apostas asseguradas
Prêmios dados no escuro
Dedos presos nas garras

Gorro de lã, obscuro
Gola de cachecol
Frio no pescoço, absurdo
Absorto pensar do farol

Química micada
Mímica disfarçada

Fantástica fantasia
Fonte de tantas piadas
Água benta na pia
E toca aguentar as mancadas

Contas contra contratos
desencontros abstratos

Forma formando figuras
Figurando nos pratos
Praticando suas loucuras
Nos lucros dos fatos

Índios industriosos
Indo aos argumentos
Alimentando os vaidosos
Fechando nos instrumentos

Instruções imprecisas
Imprecisões instruídas

Dá pra vir do visitado?
Dá pra ver de onde vem?
Fumaças andando de lado
Enquanto pra frente anda o trem...


[Adhemar - São Paulo, 25/04/2014]