sábado, 5 de setembro de 2015

INTERCONEXÕES

De onde vem o que vêem?
De onde a veemência demente?
Por que o discurso e o amém?
Por que a doença doente?

Quadros quadrados
Açúcares adoçados

Apólices de seguro
Apostas asseguradas
Prêmios dados no escuro
Dedos presos nas garras

Gorro de lã, obscuro
Gola de cachecol
Frio no pescoço, absurdo
Absorto pensar do farol

Química micada
Mímica disfarçada

Fantástica fantasia
Fonte de tantas piadas
Água benta na pia
E toca aguentar as mancadas

Contas contra contratos
desencontros abstratos

Forma formando figuras
Figurando nos pratos
Praticando suas loucuras
Nos lucros dos fatos

Índios industriosos
Indo aos argumentos
Alimentando os vaidosos
Fechando nos instrumentos

Instruções imprecisas
Imprecisões instruídas

Dá pra vir do visitado?
Dá pra ver de onde vem?
Fumaças andando de lado
Enquanto pra frente anda o trem...


[Adhemar - São Paulo, 25/04/2014]

Nenhum comentário: