domingo, 4 de outubro de 2015

ENTRADAS

Portas especulares
cara batida no espelho
afobação.
Labirinto infinito
sem teto
sem chão.

Caminhos marcados
sinais trocados de mão.
Força nas decisões
amarelo nos avisos.

A luz vermelha adverte
tetos aos aviões.
Portas trancadas por dentro
peitos trancados nos corações.

Corrida
cabelos esvoaçantes ao vento
esperança
lições.
Entrada permitida somente
daqui a pouco vão fechar os portões.


[Adhemar - São Paulo, 27/04/2014]

Nenhum comentário: