Pesquisar este blog

sábado, 30 de abril de 2016

AVANTE

Na força da loucura que existe
existe um sonho tão grande
tão grande que nele nem cabe
nem cabe no espaço-universo

Na ânsia da procura que insiste
insiste em achar o caminho
caminho que vai ao sonho eterno
eterno procurar em cada verso

Ânsia, sonhos e força resumidos:
resumidos nos espaços tão grandes
tão grandes o amor e a emoção
emoção sentimento inverso

Contrária à razão é a loucura
loucura tão grande que acabe;
acabe no caminho e não sabe
não sabe o que é amor-coração

Não cabe no verso incompleto
incompleto na luz da paixão.
Paixão, sentimento avesso
avesso ao verso curto e à razão

Paixão; és a própria loucura
loucura de andar em círculos:
círculos de pensamentos explosivos
explosivos sentimentos nas mãos

Esculpido o grande caminho
caminho do espaço tão certo
tão certo, imenso, infindável
infindável como o carinho negado

Balança a cabeça e diz não
diz não, desengana e some.
Some no horizonte do tempo
do tempo a navegar desvairado

Paixão, amor tão grnde, maior que o espaço
espaço-universo tornados na fúria
fúria-furacão varrendo os mares atormentados,
atormentados piratas e navios apaixonados

E os inevitáveis por quês indagados de repente
de repente o peito para, desfalece,
desfalece num momento refletido
refletido nos erros e acertos cometidos

Finalmente o exílio, vida nova,
vida nova recomeçada do zero.
Zero em quase tudo, mas o antigo amor sobrevive
sobrevive na dimensão da memória, comovido

Na síntese do universo imenso, cabível no coração
coração que contém tantos elevados sentimentos
sentimentos impressos e expressos nestes versos
versos que, por infinitos, representam sentimentos resumidos!

Invoca-se o pirata, na força solene de uma canção linda.
Linda como a princesa antiga e sorridente
sorridente e desaparecida por acidente ou engano...
Engano, ilusão, tudo aparente, transparente, sem fim.

Amor sem fim, sem limites na renúncia
renúncia do pirata aos sentimentos mais bonitos;
bonitos mas que nele ora são imortais
imortais, imorredouros, algo assim.

Tão presente quanto o ar, mais respeitado
respeitado o último desejo de uma deusa,
deusa que deu a dimensão do universo
universo do pirata que sem ela vai resignado enfim...

Decorre o renascer da fé no mundo
no mundo novo o pirata acreditará
acreditará porque o seu amor em vão não foi,
não foi desperdiçado e em fé se tranformou

Revestido, porém, sempre pirata
sempre pirata numa profissão de crer.
Crer querendo acreditar mais e apreciar
apreciar o que de melhor pode à vida dar forma

Sem tempestades o universo do pirata já está construído
construído sobre a base sólida à que teve de renunciar
renunciar, insistindo nas atitudes livres, livre decidir
decidir em favor de alcançar a esfera onde ela está.

Onde ela está.
Para chegar lá, nada mais o transtorna.


[P/ BSF]
[Adhemar - Aracaju, 29/01/1988]


sábado, 23 de abril de 2016

FUNIS

Não há promessas mais inúteis ou infundadas
que num único momento possam justificar
ações desatinadas de alma desorientada
que se voltem contra num repique

Não há promessa fácil descumprida
que solenemente se apresente
essencial, tal a própria vida
ainda que do nada
se invente

Não há promessa impaciente
que nos emocione ou atinja
improvisada num repente
ou que só a gente finja

Não há promessa crua
nem pouco pensada
mesmo estando nua
necessária e ousada

Não há promessa
ou cumprimento
que, com pressa
peça movimento

Não há nada
existência
resistente
ciência
ciente

Nunca
nada
não
fim

[Adhemar - São Paulo, 01/03/2014]

sexta-feira, 1 de abril de 2016

CRÉDITOS IMAGENS DO POST "ZAHA HADID"

Por razões “técnicas” que desconheço, não saíram os créditos de algumas imagens mas que foram grafados no post anterior.

Para clareza seguem abaixo, na ordem em que foram apresentadas: 

- Serpentine Sackler Gallery - Londres: imagem www.domusweb.it
- Museu Riverside - Glasgow: imagem projetomelhor.blogspot.com
- Ópera Guangzhou - China: imagem blog.ligthingvanguard.com
- Museu Maxxi - Roma: imagem www.momondo.com.br


Adhemar - 01/04/2016

ZAHA HADID

Por uma dessa coisas da vida, colocamos a imagem de um projeto da arquiteta iraquiana Zaha Hadid - prédios no Residencial do City Life Milano - na capa deste blog, no dia 24/03/2016... Tivemos a oportunidade de visitá-lo e a foto em questão foi tirada por nós...

Já comentei neste blog esse projeto com os prédios de apartamentos projetados por ela e outros pelo arquiteto polonês Daniel Libeskind; que são diferentes entre si mas tem elementos comuns harmonizando-os numa área que forma praticamente um bairro no coração da cidade italiana.

Numa profissão onde é necessário conhecimento técnico e humano, alguns elementos mais corajosos e ousados levam a criação dos espaços muito além dos limites imagináveis aliando sua cultura e referências ao programa das necessidades da obra, refletindo beleza e praticidade em resultados muito surpreendentes.

Fica aqui um pequeno tributo à esta grande dama da arquitetura do mundo.

Adhemar - 01/04/2016

Abaixo, artigo publicado hoje no Portal terra notícias, editado.



Zaha Hadid, a arquiteta mais famosa do mundo, morreu nesta quinta-feira, 29/03/2016, de um ataque cardíaco, deixando um legado de grandes projetos arquitetônicos globais, marcados por traços orgânicos e grandes curvas - e por uma boa dose de polêmica. A britânico-iraquiana tinha 65 anos e estava sendo tratada de bronquite em um hospital em Miami (EUA). Nascida em Bagdá, em 1950, ela estudou matemática na Universidade de Beirute antes de começar a carreira na Associação Arquitetônica de Londres.

Em 1979, Zaha Hadid abriu seu próprio escritório, o Zaha Hadid Architects. O primeiro grande projeto foi a Estação de Bombeiros Vitra em Weila am Rhein, na Alemanha. 

(imagem: www.archdaily.com.br)

Em 2004, ela se tornou a primeira mulher a vencer o Prêmio Pritzker, considerado o "Nobel da arquitetura". Foi também a primeira mulher a receber, em fevereiro, a Medalha de Ouro do Instituto Real de Arquitetos Britânicos, em reconhecimento por sua obra.
"Hoje em dia vemos o tempo todo mais arquitetas estabelecidas. Mas isto não significa que seja fácil. Às vezes os desafios são imensos. Houve uma mudança tremenda nos últimos anos e vamos continuar com este progresso", afirmou na ocasião.

Hadid criou o Parque Aquático da Olimpíada de Londres 2012 e seus projetos estão espalhados por países como Alemanha, Hong Kong e Azerbaijão. No Brasil, a arquiteta criou em 2008 uma sandália plástica para a grife Melissa. O Parque Aquático da Olimpíada de Londres, construído no leste da capital britânica, lembra uma onda e tem duas piscinas de 50 metros e uma piscina de mergulho. Depois de ter sido usado para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, o centro criado por Hadid foi aberto para o público em 2014.


(imagem da internet)

"Adoro o Parque Aquático de Londres pois é perto de onde eu moro", disse Hadid na época. 

Hadid se considerava uma "forasteira" por ser mulher, de origem estrangeira e de espírito inovador. "Não sou contra o establishment por si só", ela disse à BBC certa vez. "Só faço o que faço, e é isso."

Onda

Entre os projetos criados por Zaha Hadid estão a Serpentine Sackler Gallery, em Londres, o Museu Riverside, em Glasgow, e a Ópera de Guangzhou, na China.
A arquiteta conquistou duas vezes o prêmio Riba Stirling Prize, o prêmio britânico de arquitetura de maior prestígio. Em 2010 ela conquistou o prêmio pelo projeto do Museu Maxxi em Roma, ganhando novamente em 2011 pelo projeto da Evelyn Grace Academy em Brixton, Londres.

Veja abaixo alguns dos projetos da arquiteta.

Serpentine Sackler Gallery - Londres (imagem: www.domusweb.it)

Museu Riverside - Glasgow (imagem: projetomelhor.blogspot.com)

Ópera de Guangzhou - China (imagem: blog.ligthingvanguard.com)

Museu Maxxi - Roma (imagem: www.momondo.com.br)