quinta-feira, 29 de setembro de 2016

CONVESCOTE

Fui fazer um piquenique,
toalha colorida, quintal.
Terra limpa, formiga,
guaraná, coisa e tal.
Salada, doce, bolinho,
sanduíche natural;
suco, groselha e fruta,
uns guardanapos de pano.
Umas folhas caídas de árvores
ou era salada sem sal!

Fui fazer um piquenique:
um pacote de jornal,
pouca formiga atrevida...
Bolo de chocolate,
hummmm! Nada mal!
Uns copinhos de plástico,
uma cestinha de vime;
uma coisinha de "fui-me",
o céu azul, muito sol.

Fui fazer um piquenique,
tudo em cima, normal.
Só faltou uma coisa:
quem fosse comigo, afinal...


[Adhemar - São Paulo, 12/02/2015]

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

IMPÉRIO

O Rei supõe nossa renda.
Os tributos escorchantes
revelam da corte disposição.
Os súditos exauridos
encontram na morte solução.

Para festas querem nossa prenda.
Os pedidos são hilariantes,
revelam falhas da organização.
Os contribuintes, falidos,
esbanjam satisfação...

Para tudo querem que entenda
que será tudo melhor que antes;
revelam cínica ingenuidade
aos súditos enfurecidos
em cíclica "revolução"!

Uma revolução à venda
por inigualáveis montantes,
que corrompem os idealistas:
populares enfraquecidos
entregues a festejos populistas...

Boas e más intenções:
Tudo morre com TV, futebol e pães.

[Adhemar - São Paulo, 27/04/2014]