Pesquisar este blog

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

ZOMBARIA

Quanto branco diante, 
do qual um tanto comandante...?
À marcha incitem do adiante,
a mancha de um tanto,
muito sangue...

A energia da sanha distante,
que gasta tanto diamante...
Quantos dias inebriantes,
perfumes derramados tanto,
desperdiçados...

A fúria dos elementos antes,
numa força extrema tanta,
problema...

O céu vermelho clamante
e tão tempestuoso, tanto,
ciclone...

Quantos ondes, portanto,
estamos estacionando?
Quanto?

Quantos tantos?


[Adhemar - São Bernardo do Campo, 29/09/2016]

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

ACHATAMENTO

Você disfarça, você confessa,
você conversa e não me convence.
Você tenta, você sustenta,
mas não concordo, 
por mais que eu pense.

Você cobiça, você atiça,
você provoca e me arranca os dentes.
Mesmo contente você não para,
você me deixa as mãos dormentes.

Você estranha; você arranha,
você tortura, você arranca
umas verdades que eu invento
pois do contrário você me espanca!

Você me espreme, você me assusta,
você é injusta mas não se importa.
Você me custa, me arrebenta,
me escangalha, você me entorta!

Você é uma sanguinária.
Você é uma tirana.
Você é insana, é fantasia.
Você me aprisiona e também liberta,
Você é sempre incerta, 
porque tu és a poesia!!!


[Adhemar - São Paulo, 10/01/2010]

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

ZONA FRIA

Palavras espalhadas
espelho bagunçado
bagunças espelhadas
reflexo das palavras
desencontros refletidos
indevidos encontros...

Históricas mancadas
gafes heróicas
heroísmo necessário
necessidades melancólicas
tristezas parabólicas
hipérboles sem glória...

Machadadas bucólicas
bocas esperançosas
esperanças preguiçosas
presença solicitada
pedidos intercalados
escadas espiraladas...

Espíritos termais
termos espirais
esperas intermináveis
terminais intermodais
incômodos carnavais
carne viva torrada...

Chuvas torrenciais
tempestades atemporais
tempo de furacões
ciclones e vendavais
vendo lindos panoramas
vidas paranormais...

Quietudes infinitas
atitudes amorais
amores singulares
de estranhos plurais
inacabáveis sonhos
sombras, enfim, imortais...


[Adhemar - São Paulo, 04/08/2015]