Pesquisar este blog

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

PIRÂMIDE

Sentimentos empilhados.
Poucas letras, pouco espaço;
muito pó sufocado.
Um Neruda sem capa,
um Pablo deslocado.

Sentimentos espalhados,
caídos do monte, derrubados.
Sob escombros, soterrados,
amores incertos, errados.

Sentimentos estragados,
fora da geladeira geral.
Uns no meio da rua;
outros no porão, no quintal.
Vestes da verdade nua
penduradas no varal.

Sentimentos leiloados.
O maior lance sustenta
uma luta muito lenta
por mais dor, mais moral.

Sentimentos num buraco,
pá de cal.


[Adhemar - São Paulo, 12/02/2015]


Nenhum comentário: