quinta-feira, 2 de março de 2017

ESTRELA ASCENDENTE

Quando resolvo falar,
quando me torno eloquente,
quando tudo melhora
e o que é bom acontece
e a saudade me aperta...
Você não quer mais falar
com a porção gente
que sou hoje e agora;
e não sei se me esquece
e se a descisão é a mais certa...

E, se eu falo sozinho
e, minha flor também seca,
eu me lembro da sua;
o que será que acontece
se nem a um apelo responde...?
Onde está você no destino
do desolado poeta
ou pirata, nas noites de lua?
Será que me esquece
e quer me ver longe...?

Meus ouvidos testemunharam
o "nunca mais" que disseste.
Molhados os olhos que eu tinha,
onde sempre aparece
o brilho de saudade dos teus...
E as lágrimas que rolaram tristes
não desanimam jamais
de encontrar a linha dos teus passos
frente a prece elevada até Deus...

Mas se o destino quiser
que até o fim dos meus dias
eu te desencontre após cada poesia
e nem fores tu a mulher
mãe dos meus filhos...
Peço a Deus a luz que Ele tiver
e me conceda ao menos a alegria
de te saber feliz, sem fantasias;
e que eu cumpra a vida a tempo, se puder,
de ver no céu a constelação que tu és
e o teu brilho...


P/ BSF
[Adhemar - São Paulo, 02/02/1988]

ESTRELA sem DENTE

Muito barulho por nada, muita choradeira e a vida seguiu mostrando quanto erro no pedaço. Não era pra ser a mãe dos meus filhos e sumiu na poeira do tempo. Ainda assim, uma recordação pra lembrar que a vida é muito mais do que isso...

Adh, 02/03/2017.

Nenhum comentário: