Pesquisar este blog

terça-feira, 28 de novembro de 2017

RASTREAMENTO

Uma nova órbita estelar,
uma trilha na montanha,
outra rota no mar.
Um sinal que acompanha,
um pulso, um quasar.
Partícula de matéria,
parece que a coisa é séria,
se esconde em qualquer lugar.
Um disfarce de mulher,
um esconderijo impopular.
Roteiro aleatório e vulgar,
um barco pra navegar fé.
Um sinal que alcança
o pulso do radar;
um sinal de esperança,
uma chance de encontrar.
Um recôndito recôncavo;
profundo, especular,
desligado e desconexo,
completamente fora do ar.
Um grande sinal do Universo,
impossível de captar.
Se não pegou nesse verso,
em nada mais vai pegar.


[Aadhemar - São Paulo, 10/01/2010]

Nenhum comentário: