Pesquisar este blog

quinta-feira, 20 de junho de 2019

ÁTIMO


Curto instante.
Longo tempo.
Horas mais compridas
descomprimidas em seus limitados minutos.
A claridade ofuscante
brilhando em segundos.
Esse curto instante de um largo tempo...
Que não solta as horas dos ponteiros.
Que não dá voltas completas,
mas dá saltos...
A distância no tempo e no espaço.
Um céu negro,
onde estão as estrelas do universo;
que é tão amplo
que se mede em anos e em luz...

Curto instante.
Longo tempo...
Dos astros errantes,
cadentes,
como os desejos mais distantes
no tempo e no espaço.
Imenso universo
onde só cabe um abraço;
que dá voltas completas,
cola os lábios,
que enfeitiça apaixonados e poetas.
O suor à razão de uma gota por poro por segundo
na vazão do empenho
da carícia e do arrepio.
No balanço do pêndulo,
no prazer de fazer e refazer
o embalo concentrado até o êxtase:
uma espécie de morrer
que fica por um fio...


[Adhemar – São Paulo, 09/06/2019]

Nenhum comentário: