Pesquisar este blog

sábado, 24 de agosto de 2019

ARREMEDO


Não só de belas palavras vive a poesia
Nem só de rotina vive o dia-a-dia
Bombeiros são enchentes, são incêndios,
E os livros são figuras, além das palavras...

Além do sentido expresso há os ocultos
Além do sentimento vive o pulso
Médicos não curam romantismo agudo
E as enciclopédias são um testemunho mudo...

A mente carrega seus compêndios
Os marinheiros somem, mar adentro
Os navios talvez naveguem ou afundem
E o horizonte é mais que a linha ao longe...



[Adhemar – São Paulo, 12/12/2008]


CARICATURA

Texto iniciado na data assinada, mas cuja última estrofe foi redigida em 01/04/2010... Parece mentira... Um ano e quase quatro meses perdido no meio de um caderno pra afundar, mar adentro, antes da linha ao longe!

Adh – 24/08/2019

Nenhum comentário: