Pesquisar este blog

domingo, 6 de outubro de 2019

GARRAFA

Imerso no silêncio
contemplo o mar imenso.
Quantas mensagens engarrafadas,
afogadas,
perdidas, errantes,
nunca interpretadas...

Cinza azul amarelado do poente.
Melancólica nostalgia
por essas mensagens,
engarrafadas,
que se perderam,
jamais lidas...

Imerso na saudade
dessas mensagens nunca encontradas
penso... Penso nas poesias...
Quantas poesias escritas
perdidas, errantes,
jamais lidas...

Quantas palavras perdidas
em pedidos de socorro e declarações de amor,
em lamentos inúteis e celebrações exaltadas,
engarrafadas,
imersas nesse mar imenso

de saudade e de silêncio...


[Adhemar - São Paulo, 27/09/2018]

Nenhum comentário: